sábado, 7 de maio de 2011

Comer Rezar Amar


"Um conselho: tente não desmoronar o tempo todo ou então isso se torna um hábito."

A intenção de Comer Rezar Amar - o best-seller - é contar as experiências reais da jornalista norte-americana Elizabeth Gilbert, que estava em uma encruzilhada, mas demostrou bem através da escrita que conseguiu se recuperar e encontrar um novo rumo à sua vida, isso tudo no mais açucarado possível para causar a identificação imediata. A mesma coisa é o filme baseado em sua história.

Liz (interpretada por Julia Roberts) é uma mulher que aparenta ter uma vida confortável, com um marido que a ama e um bom emprego, mas sente um vazio em sua vida pessoal. Após lidar com um intenso divorcio, ela se aventura com um jovem ator, que também não estava feliz. Vendo que sua vida amorosa não está num mar de rosas, Liz resolve sair da rotina de Nova York e partir para uma longa viagem rumo à três continentes distintos: Itália, Índia e Bali.

Na Itália - especialmente Roma - ela aprende algumas palavras em italiano, conhece pessoas que estão na mesma situação que ela (são turistas) e, claro, comer muito. Chegando no continente indiano, depara-se com o lado espiritual e faz amizade com Richard do Texas (papel de Richard Jenkins). E chegando em Bali, já imaginamos aonde a palavra amar encaixa. Tudo isso numa viagem de autoconhecimento próprio da Liz como pessoa e aprender a se amar.

A película é uma verdadeira viagem, são 133 minutos de duração, o que acaba deixando a experiência cansativa, assim como o livro, que tinha a vantagem da imaginação. Mas, o tempo não impede de contar toda a experiência da protagonista que resumindo é comer, rezar e amar, causando a sensação de um dia jogar tudo para o alto e fazer essa viagem, mesmo com o clichê presente na maioria dos filmes do gênero.

A produção traz uma fotografia bela, principalmente nas cenas passadas em Bali, a parte menos interessante, apesar de ter Javier Bardem como um brasileiro que está mais para um espanhol, uma atuação nada demais vindo um ator como ele. Mas, o maior nome do filme é mesmo Julia Roberts. Ela conseguiu dar mais simpatia que a Liz do livro já tinha, passar as dores que ela sente para o espectador se identificar. Além de Roberts e Bardem, temos Richard Jenkins, ótimo como Richard do Texas e um apagado James Franco.

Comer Rezar Amar é um verdadeiro 'chick flick'. Você precisa de um filme como esse de vez em quando para mostrar que a vida é uma viagem e ela passa muito rápido, mesmo sendo uma premissa persuasiva para identificação imediata. E mesmo com a longa duração, vale a pena pensar em dar uma escapada da vida para comer, rezar e amar de um modo verdadeiro.

Cotação: 8,0

Comer Rezar Amar (Eat Pray Love, 2010)
Direção: Ryan Murphy
Roteiro: Ryan Murphy e Jennifer Salt, baseados em livro de Elizabeth Gilbert
Elenco: Julia Roberts, Javier Bardem, Richard Jenkins, James Franco, Billy Crudup, Viola Davis, Welker White, Luca Argentero, Andrea Di Stefano.

11 comentários:

Haylla disse...

Menina que lindeza...
- Adorei'
Beijos bem grande flor!

Twitter.: @loja_zart

Mayara Bastos disse...

Haylla, obrigada! ;)

Maria Vilar disse...

Esse filme tem cada cena linda, gosto da parte da Itália e adoro o trabalho da Julia Roberts. :))

Kamila disse...

Eu adorei esse filme e sei que sou minoria nesse ponto, mas acho que nós, mulheres, entendemos a Liz e a necessidade dela. Acho até que a gente admira a coragem dela em largar tudo para se encontrar. Queria poder fazer isso também, algum dia. Fora que é ótimo ver a Julia Roberts num papel carismático, destilando seu belo sorriso depois de tantos papeis mais sérios! :)

Matheus Pannebecker disse...

Mayara, esse filme me decepcionou muito! Eu gosto do Ryan Murphy (em especial o filme anterior dele, "Correndo com Tesouras"), mas "Comer Rezar Amar" foi longo, redundante e longe de ser aquele guilty pleasure que eu esperava!

Rafael W. disse...

Também gostei muito, filme sincero, bonito, que só peca na duração. Julia Roberts está ótima!

http://cinelupinha.blogspot.com/

Victor Nassar disse...

Divertido, mas esquecível. Ótimo filme pra se deixar levar, dar umas risadas, pensar um pouquinho. Mas o filme fica ali na sessão e pulft. Pelo menos pra mim. =] Em todo o caso, tende a agradar mais às mulheres.

Elton Telles disse...

Roberts é mesmo o grande destaque. O filme em si não me agradou, mas a atriz está apaixonante na fita.


Bjs.

Alan Raspante disse...

Eu gostei bastante do filme. Achei bacana e plausível as incertezas de Liz, coisas de ser humano! rs

Roberts está ótima aqui :)

Abs,
cinegrafia.blogspot.com

cleber eldridge disse...

Achei esse um filme gostoso e tudo mais, afinal eu adoro road movies, Julia Roberts está linda como sempre.

Mayara Bastos disse...

Maria, concordo! ;)

Kamila, concordo plenamente. Queria poder fazer isso um dia, largar tudo e viver. rsrs. ;)

Matheus, não vi "Correndo com Tesouras" e já esperava um filme desse jeito por causa do livro. ;)

Rafael W., verdade! ;)

Victor, agrada mais as mulheres mesmo, pela identificação. ;)

Elton, Roberts está radiante. Beijos! ;)

Alan, são coisas nossas mesmo! rsrsrs. Abraços! ;)

cleber, um passatempo delicioso e a Julia num papel que caiu como uma luva para ela. ;)