quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Coração Louco


Coração Louco não é uma biografia, apesar de aparentar no primeiro momento ser uma história sobre um sujeito com problemas pessoais, incluíndo distância de familiares, vícios em algo, mas mostram que possuem algum tipo de habilidade. Aqui, nosso herói é um cantor e compositor Country, gênero músical muito popular nos EUA e no Brasil é “traduzido” como Sertanejo.

Jeff Bridges é Bad Blake, um sujeito alcoolatra e fumante que sempre viaja em turnés apresentando-se em shows baratos seus maiores sucessos. Solitário e não abrindo mão de suas convicções, ele hesita em fazer um dueto com seu antigo pupilo Tommy Sweet (participação de Colin Farrell), mesmo com a constante insistência de seu agente.

A película acompanha essa luta de Bad em busca da redenção, de não desaparecer. O personagem ganha um empurrãozinho depois que conhece a personagem de Maggie Gyllenhaal, uma jornalista interessada na história do cantor e uma mãe cautelosa. Assim, ele começa um relacionamento pessoal com ela e com o filho dela.

O debut de Scott Cooper tem a intenção de redenção de nosso herói. O que acaba causando identificação imediata por ele, com que ele fique presente até na conclusão. Isso ocorre graças a atuação de Jeff Bridges, o coração e vida do filme inteiro, além de ser um bom cantor. A trilha sonora tem canções agradáveis, com destaque para “The Weary Kind” e “Fallin’ & Flyin”.

Coração Louco tem muita música boa, mas é um filme de redenção, pessoas que não tiveram uma chance de escolha, mas que não desistiram de lutar para realizar seus desejos e aproveitar as chances que recebem. Nunca é tarde para isso. È o que aprendemos com Bad Blake.

Cotação: 8,0

Coração Louco (Crazy Heart, 2009)
Direção: Scott Cooper
Roteiro: Scott Cooper, baseado em livro de Thomas Cobb
Elenco: Jeff Bridges, Colin Farrell, Maggie Gyllenhaal, Robert Duvall, Paul Herman, Jack Nation, Ryan Bingham.

14 comentários:

Elton Telles disse...

Tem mais jeito de telefilme, mas é bacaninha. Jeff Bridges e as canções são mesmo os grandes atrativos da fita. O restante é mais do mesmo, historiazinha batida e talz, mas sincera. É um bom filme, mas daqueles que custam a lembrar depois de um tempo hehe.


bjs!

Weiner disse...

Concque o Bridges está muito bem aqui, não sou imbecil o bastante para atacá-lo só por considerar seu Oscar injusto. Mas o filme em si, é apenas correto - não há exatamente nada de especial, apenas a história de sempre com personagens nem tão diferentes assim.

Weiner disse...

Concordo que* ;)

bruno knott disse...

O Jeff Bridges realmente está ótimo e foi uma surpresa ve-lo cantar...

Tb acho que as músicas são ótimas, já valendo o filme valer a pena!

Kamila disse...

Esse filme é tudo aquilo que a música country é. É uma história sólida, muito bem contada e com uma ótima performance do Jeff Bridges.

@JuniorAd disse...

Menina, eu te juro que eu não dava nada por esse filme. Não sei se era por conta do hype em cima de Jeff Bridges ou outra coisa. Mas o fato é que o filme me conquistou e tenho nele um grande apreço!

Otavio disse...

Eu acho que o filme encontra um olhar bacana para se contar uma trama batida: Ele não é sobre Bad Blake ou seu "estado terminal". É sobre a música "The Weary Kind". A composição dela.

Bjs!

Jonathan Nunes disse...

Me envergonho até de dizer que ainda não conferi esse filme. rsrsrsrs.

Bjus.

Wallace Andrioli Guedes disse...

Acho esse filme tão fraquinho, uma espécie de sub-O LUTADOR, com um Jeff Bridges até bem, mas numa atuação que não merecia os prêmios que levou. Acho que a única coisa que realmente gosto em CORAÇÃO LOUCO é sua trilha sonora, especialmente a linda canção "The Weary Kind".

Victor Nassar disse...

Boa crítica, Coração Louco é mesmo um filme de redenção. Jeff Bridges está ótimo, nem preciso dizer da trilha.

É um bom filme, mas só isso.

Bjs!

Rafael W. disse...

Não vi nada de mais, mas é bacana.

Adorei seu blog! Já estou seguindo!

http://cinelupinha.blogspot.com/

Brenno Bezerra disse...

Não gostei tanto, mas não é ruim. Jeff Bridges dá show e não vejo nada de mais na Maggie Gyllehaal.

Cristiano Contreiras disse...

Outro filme que é bom, mas nada além disso, uma pena Firth ter perdido o oscar pra Bridges! absurdo até...

Dewonny disse...

Adoro o Jeff Bridges q arrasou nesse filme, merecido o oscar q faturou. Um filme pra se refletir sobre as decisões erradas q tomamos na nossa vida! nota 7.5!
Bjs! Diego!