quarta-feira, 6 de julho de 2011

As Coisas Impossíveis do Amor


No começo de As Coisas Impossíveis do Amor, somos apresentados a belas fotos da protagonista vivida por Natalie Portman com seu filho recém-nascido, mostrando emoção e alegria num momento como esse. Mas é o dilema da maternidade que o filme tenta tratar, já que a personagem precisa enfrentar a perda e esforços para ser aceita.

Emilia é uma jovem que começa a trabalhar em um escritório de advocacia pertencente a Jack (Scott Cohen). Ali, eles começam a ter um caso que resultou no fim do casamento de Jack com a médica Carolyn (Lisa Kudrow, conhecida pelo seriado Friends). Posteriormente, Jack e Emilia se casam e têm uma filha que por causas naturais, faleceu dias depois de nascer. Além da difícil superação com a morte precoce da filha, Emilia ainda tenta conquistar seu enteado, ao mesmo tempo que lida com os ciúmes de Carolyn.

As reais intenções do filme é apagar a famosa imagem da madrasta, que sempre é vista como temida e sempre rejeitada. È o ponto de vista dela, com suas dificuldades em manter o casamento, ao mesmo tempo que tenta se aproximar do filho de seu marido, sendo uma confidente, com o típico "Pode deixar que não conto, será nosso segredinho", ao mesmo tempo que seu pai reaparece pedindo perdão por ter trocado a esposa por outra.

Enquanto o filme traz estas qualidades de premissa, mas possui personagens sem simpatia. Tirando Emilia que é bem defendida por Natalie Portman, temos uma caricatura na forma de Lisa Kudrow, como a ex-esposa ciúmenta Carolyn, além de o Jack de Scott Cohen ficar apagado em muitos momentos, o que pode ser considerado um pecado pelo tamanho da importância de seu personagem.

O que As Coisas Impossíveis do Amor ganha em conflitos, perde por ser vazio, principalmente em explorar as pessoas importantes ao redor de Emilia, fazendo com que fique cansativo am alguns momentos. Mas, valeu por abrir as oportunidades e mostrar que é possível explorar melhor o ponto de vista da outra mulher e fugir dos estereótipos dos contos de fada.

Cotação: 6,0

As Coisas Impossíveis do Amor (The Other Woman, 2009)
Direção: Don Roos
Roteiro: Don Roos, baseado em livro de Ayelet Waldman
Elenco: Natalie Portman, Scott Cohen, Lisa Kudrow, Charlie Tahan, Lauren Ambrose, Anthony Rapp, Daisy Tahan, Elizabeth Marvel, Michael Cristofer, Debra Monk.

9 comentários:

Kamila disse...

Uma pena que o filme seja irregular. Mesmo assim, é uma obra que quero assistir.

Mayara Bastos disse...

Kamila, é irregular, mas vale uma conferida. ;)

Cristiano disse...

Tenho cá para mim que esse filme só foi lançado nos cinemas americanos pra capitalizar em cima de toda a mídia que a Natalie recebeu por "Cisne Negro". O filme desperdiça uma premissa muito boa, ficando naquele resultado sem sal... Pena, tinha potencial para mais! Curiosidade: o projeto nasceu como um veículo pra Jennifer Lopez!

Dewonny disse...

Esse eu já tenho na fila pra assistir, acho q só pra ver a Natalie já vai valer a pena, hehe..
Bjo! Diego!

alan raspante disse...

Eu achei esse filme bem decepcionante. Gosto da Portman, mas acho que o filme nem vale pela atuação dela, já que não é nada memorável...

Alex Gonçalves disse...

Mayara, discordo totalmente de você sobre a caricatura da personagem da Lisa Kudrow, que para mim não existe. Aquela sequência onde Emilia aparece no consultório mostra a verdadeira face da Carolyn, talvez seja a minha sequência favorita do filme.

No entanto, uma coisa é certa: "As Coisas Impossíveis do Amor" é um bom drama, mas Don Roos é capaz de fazer muito melhor (vide "O Oposto do Sexo", um dos meus filmes favoritos).

Cristiano Contreiras disse...

Eu confesso que só tinha lido boas opiniões sobre esse filme, mas agora teu texto me desestimulou um pouco. Quero conferir por conta de Natalie mesmo.

Abraço

Mayara Bastos disse...

Cristiano, não sabia que a história foi feito para Jennifer Lopez. ;)

Diego, vale mesmo pela Natalie. Beijos! ;)

Alan, também achei o filme meio decepcionante. ;)

Alex, achei ela bem caricata e essa cena que mencionou é uma das melhores do filme mesmo. ;)

Cristiano, vale a pena pela Natalie, ela está ótima aqui. Abraços! ;)

Victor disse...

Discordo um pouco de você. Talvez tenha sido o momento, mas chorei como nunca nesse filme. hehe E muito por isso, acabei gostando bastante. A história me envolveu bastante e achei os personagens plenamente possíveis. O único ponto fraco do filme pra mim é o marido mesmo, que é deixado mais de lado na história.