terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Comentários sobre o Oscar 2012


A sensação de nostalgia dominou por inteiro a cerimônia do Oscar neste ano, começando com o tradicional monologo de Billy Crystal, com sua paródia dos filmes indicados, incluindo até a maquiagem de Tintim e com uma canção improvisada por ele sobre os filmes. Enfim, uma cerimônia conduzida nos moldes da Academia.

Enquanto Crystal fazia o que esperava, moças vestidas de pipoqueiras distribuindo pipocas no intervalo para os convidados, um In Memoriam simples, mas emocionante na medida ao som de ‘What a Wonderful World’ e ainda Caco e Miss Piggy apresentando Cirque Du Soleil, que mesmo impecáveis, como sempre, o show ali ficou meio forçado, em razão de anteceder as categorias de trilha sonora e canção original, esta última muito desprezada não só pelo descaso em indicar só duas músicas, como também abolir as apresentações.

Mesmo com o ritmo ágil, sem enrolação de um prêmio a outro, apesar de toda a nostalgia forçar um pouco em vídeos de atores norte-americanos, que incluem Tom Cruise até Adam Sandler falando sobre a procura dos filmes como uma forma de lazer. Por ser com atores, o vídeo ficou artificial demais.

Sobre os prêmios, O Artista e A Invenção de Hugo Cabret dividiram prêmios, com o francês dominando as principais categorias e o filme de Martin Scorsese com as técnicas. Mesmo com vitórias agradáveis como Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres (Edição) e Meia-Noite em Paris (roteiro original).

Momentos marcantes neste Oscar pertencem a Meryl Streep, que assim como Ingrid Bergman e Jack Nicholson, é dona de um terceiro Oscar e Jean Dujardin, o primeiro ator francês a vencer a estatueta e esbanjando simpatia e com direito a uma dancinha de seu personagem, George Valentin, no final de seu discurso. È por esses momentos que esse Oscar merece ser lembrado.

Clique aqui para conferir a relação completa de vencedores.

2 comentários:

Kamila disse...

Realmente, o tom do Oscar 2012 foi de total nostalgia, mas acho que isso, ao longo da noite, ficou muito forçado, como se eles quisessem empurrar goela abaixo a mensagem deles ao público. Concordo com o que você falou sobre a apresentação do Cirque du Soleil. Até que o que eles fizeram estava dentro do contexto que a premiação teve, mas acho que eles ocuparam o espaço que poderia ter sido destinado justamente à apresentação das canções indicadas.

Eu gostei muito da distribuição de prêmios entre “A Invenção de Hugo Cabret” e “O Artista”. Acho que são os dois melhores filmes do ano, até agora, e eles também entram nesse tema da nostalgia que foi o tom do Oscar 2012.

A vitória da Meryl Streep foi meu ponto alto da noite. Espero que ela esteja errada sobre si mesma e ainda tenha uma nova chance de subir ao palco do Oscar pra receber, quem sabe, uma quarta estatueta. ;)

Matheus Pannebecker disse...

Valeu só pela Meryl mesmo, que está divina, como sempre! Momento histórico, para mim =) A cerimônia deixou muito a desejar. Nada me convenceu: Billy Crystal, o tom de nostalgia, as piadas, os apresentadores... Uma festa muito chata! Já a distribuição de prêmios foi praticamente impecável!