quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A Última Música


A Última Música é mais uma obra escrita pelo romancista norte-americano Nicholas Sparks, responsável por obras melosas que ganharam inúmeras adaptações cinematográficas, como Uma Carta de Amor, Um Amor para Recordar, Diário de uma Paixão, Noites de Tormenta e Querido John. Aqui, vemos os elementos dos trabalhos de Sparks, mas mostrado com monotonia e sem comoção.

Ronnie (Miley Cyrus) é uma adolescente que tinha uma afinidade com a música, chegando até a ser aceita na Julliard School, mas recusou a bolsa. A menina tem um comportamento temperamental depois do divorcio dos pais. Ela e o irmão Jonah (Bobby Coleman) vão passar o verão numa cidade do sul dos EUA, onde mora Steve (Greg Kinnear, a melhor coisa do filme). Lá, Ronnie conhece Will (Liam Hemsworth) e começa um romance com ele, além de conseguir retomar a relação com o pai.

A escolha de Miley Cyrus para o papel principal em A Última Música foi equivocada, ao mesmo tempo fraca, por não conseguir passar emoção e lembrar muito a personagem que a tornou conhecida, Hannah Montana. Além desse fator, o roteiro escrito pelo próprio Sparks abusa dos constantes clichês para dar um clima meio forçado para a emoção, principalmente por vezes deixar de lado a relação em família e focar no romance sem química.

A Última Música é um dos exemplos que Nicholas Sparks preocupa-se mais com a indústria do que a literatura, já que pensa primeiro na adaptação antes mesmo de elaborar uma história. Um novelão, diga-se de passagem.

Cotação: 3,0

A Última Música (The Last Song, 2010)
Direção: Julie Anne Robinson
Roteiro: Nicholas Sparks e Jeff Van Wie, baseado em livro de Nicholas Sparks
Elenco: Miley Cyrus, Greg Kinnear, Bobby Coleman, Liam Hemsworth, Hallock Beals, Kelly Preston, Stephanie Leigh Schlund, Nick Searcy, Kate Vernon, Melissa Ordway, Adam Barnett.

11 comentários:

Cristiano disse...

Infelizmente esse é o mercado que temos hoje, que valoriza a fórmula sobre o conteúdo. E isso não se restringe ao cinema, afeta todas as áreas, desde a música até as artes plásticas. Parece não haver mais lugar no mainstream para aqueles artistas que nos provocam, que questionam, que buscam a inovação sempre.
Parabéns pela crítica.

alan raspante. disse...

Este é um filme que não tenho a mínima curiosidade de ver, além de ser meloso [nem precisa ver para saber..] tem a insossa Miley Cyrus, guria que eu não aturo!

Chuta que é macumba! hehehehe

Elton Telles disse...

Vish, passarei longe dessa bomba. Tem praticamente todos os elementos em um filme que não me atrai, incluindo a presença da tosca protagonista, que declarou guerra ao Radiohead

HAHAHAHA

parei!

Jeniss Walker disse...

Nem vi ainda. Mas não deve ser lá essas coisas. Abraço :)

Reinaldo Glioche disse...

boa ponderação sobre as prioridades de Sparks, Ma. É verdade. Cada novo romance adaptado, mais afugentada está a qualidade do trabalho. Só como curiosidade: o projeto foi desenvolvido especificamente para Miley Cyrus. Já viu né?!rsrs.
Bjs

Anônimo disse...

É o tipo de filme, que só veria se não tivesse outra coisa pra ver!

leo disse...

Oi Mayara
Pra ser sincero não esperava nada diferente do que você citou no texto e nunca li nada do Nicholas Sparks,mas se for tão ruim quanto os filmes que fazem sobre suas obras fica difícil.
Mas claro tenho ressalvas,acho Diário de Uma Paixão um dos melhores filmes românticos que já assisti.
Abraços

Robson Saldanha disse...

Evito, tudo por causa de Miley. Puro preconceito.

Mayara Bastos disse...

Cristiano, obrigada! E isso pertence a questão da indústria cultural, em que tudo é pensado no lucro. rsrs. ;)

Alan, chuta mesmo. rsrs. È meloso e sem graça. E a Miley está irritante. rsrs. ;)

Elton, não perde nada, rsrs. E tosca ao extremo. rsrs. ;)

Jeniss, não é essas coisas mesmo. Abraços! ;)

Reinaldo, obrigada! E não sabia que foi especialmente para Cyrus, não é a toa que tem parente dela na produção. rsrs. Beijos! ;)

Anônimo, pois é. Falta de opção. ;)

Leo, acho que Sparks só acertou em "Diário de Uma Paixão" mesmo. Mas "A Ùltima Música" é o fundo do poço. rsrs. Abraços! ;)

Robson, evite mesmo. E não é preconceito, não temos culpa de vermos Miley Cyrus. rsrs. ;)

Pedro Henrique disse...

Lamentável essa série de filmes que estão saindo baseados nos livros do Nicholas Sparks, que é um escritor medíocre.

Mayara Bastos disse...

Pedro, pois é. È uma pena em que ponto o Sparks se tornou. Para mim, era promissor. rsrs. ;)