domingo, 17 de abril de 2011

Idas e Vindas do Amor


È um tabu nos EUA que o dia 14 de fevereiro é uma espécie de “feriado”, é o dia dos namorados. Uma chance das pessoas de tirarem um dia todo para ficar com a outra metade da maçã, com seu namorado ou esposo e vice-versa. Reunindo um elenco de talentos distintos, Idas e Vindas do Amor conta histórias paralelas sobre o mesmo tema: o amor.

Passando-se em Los Angeles, histórias paralelas de pessoas na total expectativa pelo Valentine’s Day. Tem a paixonite infantil, a primeira vez entre dois jovens, aquela que está completamente apaixonada, mas não sabe que ele é casado, um casal em flerte no avião, aqueles que odeiam o dia e organizam festas para os que lidam com esse mesmo dilema, as desilusões amorosas, o medo de ficar só nessa data e outros casos.

Filmes como Simplesmente Amor e a série de segmentos Cities of Love conseguiram conquistar não só pelo tema do amor, mas por fazer a junção disso com outros temas como o Natal e a convivência de pessoas em determinado lugar. Aqui nesse Idas e Vindas do Amor o constante do dia dos namorados é tamanha que pode acabar entediando, assim como os típicos clichês usados no gênero.

Existem historinhas bacanas, mas o maior problema acaba por enfocar mais os personagens de Ashton Kutcher e Jennifer Garner, atores que viraram carteirinha fichada neste tipo de produção, assim como a historinha desnecessária protagonizada por Taylor Lautner e a cantora Taylor Swift, como um casal muito apaixonado que chega a irritar. Mas, o filme tem alguns bons momentos graças às presenças de Julia Roberts, Anne Hathaway, Hector Elizondo e do garotinho Carter Jenkins.

Idas e Vindas do Amor é um daqueles filmes que você precisa estar no clima total para embarcar, principalmente em momentos doces da vida, mas é somente por isso. È um entretenimento bobo, em que já logo no começo da projeção já sabemos como vai terminar, apesar das poucas surpresas que envolvem alguns casais...

Cotação: 5,0

Idas e Vindas do Amor (Valentine's Day, 2010)
Direção: Garry Marshall
Roteiro: Katherine Fugate, baseada em história de Abby Kohn, Katherine Fugate e Marc Silverstein
Elenco: Jessica Alba, Kathy Bates, Jessica Biel, Bradley Cooper, Eric Dane, Patrick Dempsey, Hector Elizondo, Jamie Foxx, Jennifer Garner, Topher Grace, Anne Hathaway, Carter Jenkins, Ashton Kutcher, Queen Latifah, Taylor Lautner, George Lopez, Shirley MacLaine, Emma Roberts, Julia Roberts, Taylor Swift.

17 comentários:

Cristiano disse...

Esse filme empalidece totalmente frente à Simplesmente Amor, por exemplo. E, cá prá nós, Ashton é insuportável, quase sempre com aquela cara de "Dude, Where is My Car?" filme após filme...

Mateus Selle Denardin disse...

O filme não parece preocupado em tratar com maior inteligência ou encanto suas histórias. Se entrega completamente a clichês insuportáveis e mal dedica atenção à atuação de seus atores. Roberts e Jenkins, entre alguns poucos outros, concordo, têm momentos envolventes, mas é muito pouco para um filme que se pretendia ser definitivo sobre o assunto -- tome-se para isso o título original.

Mayara Bastos disse...

Cristiano, o Ashton tem muito o que evoluir, mas já perdi a fé nisso. rsrs. ;)

Mateus, concordo. Também acho que poderia ter sido um filme do gênero melhor. ;)

Kamila disse...

Acho esse filme até simpático, mas acredito que falta uma liga maior entre as histórias para que a gente possa se envolver mais com o longa.

Mayara Bastos disse...

Kamila, concordo! ;)

Cristiano Contreiras disse...

Um dos piores filmes que já vi em toda minha vida cinéfila...rs!

Rafael W. disse...

Como disseram, apenas um filme simpático. Dá pra assistir, vai...

http://cinelupinha.blogspot.com/

Jonathan Nunes disse...

Cada dia que passa fica mais insuportável assistir comédia romântica com Ashton Kutcher, se tratando do filme em geral existem algumas histórias bem legais tipo a da Anne Hathaway (como você sitou), mas não chega a agradar num todo. E o pior é que está vindo o mesmo tipo de filme dessa vez no ano novo. rsrsrsr

Victor Nassar disse...

Um daqueles que eu não consegui terminar. Um verdadeiro paradoxo: Muitas histórias com poucas histórias. E olha que no dia eu tava nesse "clima total" que você menciona. Vish!

BRENNO BEZERRA disse...

Não gosto, mas também não venero. Gostei da Garner e do Kutcher, e acho que o Framboesa dado a este último foi pura perseguição e nenhuma "justiça". Jessica Alba, Taylor Swift e Taylor Lautner estão pavorosos, mas o que esperar desses 3 na atuação?!

Beijos

Weiner disse...

Particularmente não gosto de Idas e Vindas do Amor, há toda a baboseira de sempre, e condensada de maneira que nada pareça sequer tragável. É muito ruim mesmo. Aliás, as comédias românticas americanas em geral estão nessa toada há bastante tempo.
Beijos!

Mayara Bastos disse...

Cristiano, já vi filmes bem piores que esse! rsrsrs. ;)

Rafael W, algumas partes do filme dá para ver... rsrs. ;)

Jonathan, Kutcher não me desce e o que se passa no ano novo se passará em Nova York e tem um elencão também. rsrs. ;)

Victor, eu não estava no clima quando assisti, mas estava com bom humor. rsrsrs. ;)

Brenno, não gostei das atuações do pessoal que você citou. rsrsrs. Beijos! ;)

Weiner, pois é! As comédias românticas estão muito enlatadas nos úlimos tempos. rsrs. Beijos! ;)

Maria Vilar disse...

È bobinho, serve para assistir em um dia chuvoso, de bobeira. :))

Isaac Venerando disse...

ah eu gostei muito salvou uma tarde perdida minha :D,parabéns pelo post !!!!

Ráfaga Morena disse...

Onde posso encontrar este filme par assistir?

Visite meu blog e o blog que eu escrevo com mais 2 amigas
Trumbicado.blogspot
upalternativo.blogspot

Anônimo disse...

entrem e comentem : nandaesuasideias.blogspot.com

Mayara Bastos disse...

Maria, é verdade! rsrs. ;)

Isaac, obrigada! ;)

Ráfaga Morena, o filme está disponível em DVD e se você tiver HBO, ele está passando lá. ;)