domingo, 13 de fevereiro de 2011

Cisne Negro


O balé clássico exige desafios intensos. Os profissionais da área precisam ter cuidados com o corpo e manter a forma, treinamentos rigorosos e manter a sanidade mental. Quando se trata da adaptação de O Lago dos Cisnes de Tchaikovsky acaba pedindo o dobro para sua bailarina, por ela precisar interpretar duas protagonistas, mas distintas: Odette, o cisne branco; que é puro e gentil, e Odile, o cisne negro; malicioso e sedutor.

Em Cisne Negro, Nina Sayers (Natalie Portman) é uma jovem meiga e frágil. Ela vive com sua mãe, Erica (Barbara Hershey), uma bailarina aposentada. Ela integra a companhia de balé de Thomas Leroy (o francês Vincent Cassel) em Nova York há quatro anos e sonha com uma oportunidade de mostrar seu esforço. Nina tem a chance quando uma vaga deixada por Beth MacIntyre (Winona Ryder, em uma breve participação) - que está prestes a se aposentar – na peça de O Lago dos Cisnes, disputado por muitas bailarinas. O objetivo de Nina é ser perfeita e para isso começa a ser rígida consigo mesma.

Thomas diz a Nina que ela é perfeita nos movimentos delicados do cisne branco, mas peca no cisne negro por ser muito presa e não ter a sedução necessária para conquistar o público. Com essa intensa preparação, Nina acaba sofrendo com uma marca nas costas por conta de uma alergia, começa a perceber a rivalidade de outras colegas e muitas alucinações passadas em sua cabeça, até envolvendo a bailarina de São Francisco, Lily (papel de Mila Kunis).

Cisne Negro é sutil no início, introduzindo ao espectador para a vida de sua protagonista e seu comportamento, seu quarto é rosa, cheio de ursos de pelúcia. Foi criada por uma mulher amargurada que chega a extrapolar em sua proteção a sua filha, como proibir a filha de trancar a porta do quarto. O roteiro e a direção de Darren Aronofsky vão além de mostrar o balé do jeito que conhecemos, chegando na carne dos intensos treinamentos e nos momentos de alucinação da personagem Nina, principalmente no descobrimento da sexualidade e abandonando aos poucos o papel de garota meiga.

O elenco todo merece elogios, mas o que seria de Nina sem a sublime atuação de Natalie Portman. Ela transita perfeitamente entre a garota frágil e dedicada à rebeldia e perca da inocência, uma personagem que exige desafios. Ajudando perfeitamente no alucinante movimento de câmera, está a fotografia muito bem usada nas cenas de dança e a trilha sonora de Clint Mansell, que tem uma fundamental importância não só nas cenas de balé, mas nas mais intensas.

Cisne Negro é de tirar o fôlego, é ousado em transportar essa faceta para o balé clássico e ir além da parte bonita dos espetáculos. Uma jovem que tinha um objetivo, mas que foi além de seus intuitos e começou a ser uma mulher, mas drasticamente somente por uma coisa: ser perfeita.

Cotação: 10

Cisne Negro (Black Swan, 2010)
Direção: Darren Aronofsky
Roteiro: Mark Heyman, Andres Heinz e John McLaughlin
Elenco: Natalie Portman, Vincent Cassel, Mila Kunis, Barbara Hershey, Winona Ryder.

21 comentários:

Franciele Oliveira (Fran) disse...

Eu achei o filme belissímo! Fotografia impecável e aquela trama que nos prende do começo ao fim. Natalie está impecável!

Beijos

Mayara Bastos disse...

Fran, belíssimo mesmo! Beijos! ;)

Roberto Simões disse...

É isso: é "ousado" e "de tirar o fôlego". Gostei imenso.

Roberto Simões
» CINEROAD – A Estrada do Cinema «

Mayara Bastos disse...

Roberto, é um filme apaixonante. ;)

Rafael W. disse...

Obra-prima belissima, Portman, com sua interpretação arrebatadora, nos leva pra junto de sua dança e de sua paranóia.

http://cinelupinha.blogspot.com/

Victor Nassar disse...

Cisne Negro é mesmo um filme fantástico!, que merece todo o reconhecimento! Natalie também é a própria obsessão pela perfeição e, sem dúvida, é o ano dela!

E realmente há de se louvar a ousadia que o filme tem. É um fôlego pra indústria!

A pequena "homenagem" para "O Lutador" fez com que houvesse uma diminuição na minha euforia. Mas ainda assim a experiência é marcante. 10 também!

Elton Telles disse...

Fabuloso! Portman e Aronofsky em perfeita sintonia. O filme é um show em parceria desses dois talentosos profissionais.

ótimo texto, Mayara! Muito apaixonado =)


abs!

cleber eldridge disse...

Dispensa comentários, uma obra-prima e talvez a única de 2011, Aronofsky dança com a camera e chega a deixar tonto, e isso é tudo de bom, o filme chego ao final, e sinto aquela sensação QUERO MAIS!

Reinaldo Glioche disse...

Belo texto Ma. Cisne negro é mesmo de tirar o fôlego. Ótima colocação.
Beijos

Natalia disse...

Afinal a perfeição pode levar a loucura ne? Gostei mto deste filme, cheio de arte, analogias. O diretor soube usar suspense com estilo nas horas necessárias.

Por mim, Cisne Negro ganharia o Oscar =)

Bjs

Weiner disse...

Como não se apaixonar pelo filme, né Mayara? É tão bom, mas tão bom! Gosto quando você fala da sutileza do início que logo se transforma num pesadelo indelével. Isso porque nosso pequeno gênio Aronofski sabe como ninguém manipular estes abismos - nos dá a sensação de que teremos um filme obsessivo, mas jamais um "pesadelo filmado". E viva Portman!
Beijos!

Rodrigo Mendes disse...

Perdemos o fôlego. Irei perder este fôlego várias vezes!

Bjs.
Rodrigo

Kamila disse...

Nota 10! Que beleza! :) Para mim, "Cisne Negro" é o melhor filme da safra Oscar 2011, até agora. Uma obra perturbadora, que mexe com a gente e que encontra sua virtuose na direção engenhosa do Aronofsky e na performance de entrega total da Natalie Portman.

Dewonny disse...

Olá Mayara!
Cisne Negro é sem dúvida um dos melhores do oscar, tbm gostei bastante, belo filme, a Natalie Portman merece faturar o oscar, ela está fantástica!
Bjs! Diego!

Dewonny disse...

Ahhhh, vc gostaria de participar de um grupo de cinema do yahoo, na qual sou moderador? és uma menina muito inteligente q escreve brilhantemente bem sobre cinema, seria uma honra tê-la no grupo, se sim, me avisa lá no meu blog q te mando o convite, passa um email daí..espero q aceite pra ver como é, se ñ, td bem, no problem..bjs!!

Otavio disse...

Obra-prima! O filme que deveria ganhar o Oscar.

Bjs!

Alex Gonçalves disse...

Mayara, gosto de "Cisne Negro", mas não muito. Tinha expectativas de apreciar mais na revisão, mas o resultado foi o mesmo da primeira vez. Você está mais do que certa no sentido de que o filme foca perfeitamente o mundo do balé, da sua beleza ao inferno dos bastidores. Entretanto, acredito que o filme se beneficiaria caso sua narrativa fosse ainda mais pirada.

Um beijo!

Kahlil Affonso disse...

o melhor filme de 2010! leia a crítica dele no meu blog

http://filme-do-dia.blogspot.com/

Aline Vaz disse...

Um drama psicológico incrivel :)
Parabens pelo blog.
http://culturaesquizofrenica.blogspot.com/

Rafael Moreira disse...

Obra-prima do ano que acho difícil outra produção superar este filme. Eu já esperava algo muito bom da parceiria Aronofsky / Portman. E o filme excedeu (muito) minhas expectativas. Eu senti, como Nina. Perfeito! Beijo.

Maria Vilar disse...

Natalie Portman é uma ótima atriz. Assisto amanhã! :))